~Blog


Este blog é uma fanfic coletiva inspirada no universo de Harry Potter, pertencente a J.K. Rowling, mostrando as aventuras paralelas de personagens originais, durante a sua permanência em Hogwarts. Os eventos do Magic se passam durante a epóca em que os marotos frequentavam Hogwarts.
Correio-Coruja

~Alunos



Nome:Callista Graham
Apelido: Cal
Idade: 14 anos
Ano Escolar: 4º ano
Posição no Quadribol: Artilheira
Objeto Especial: Minha varinha, símbolo que sou bruxa!
Desilusão: Ter claustrofobia e não conseguir ficar em lugares muitos fechados. Só seus amigos sabem sobre o fato que ela ficou soterrada quando criança e que toma uma poção da Madame Pomfrey todos os meses para poder conseguir assistir as aulas...
Aparência: Cabelos castanhos ondulados e olhos lilases. Seria considerada comum e normal se os olhos não chamassem tanta tenção.
Personalidade: Personalidade e opinião fortes, difícil de convencer (praticamente uma cabeça dura). Tem que provar que está errada, mas se o fizer será sempre muito respeitado por ela. Pouco estudiosa, mas sabe muito bem as matérias que gosta. Adora os amigos e em Hogwarts sente sua 2ª casa.
Animal de Estimação: Uma coruja negra chamada Hipólita


Nome: Liv Joanne Spellman
Apelido: Não tenho
Idade: 14 anos
Ano Escolar: 4º ano
Posição no Quadribol: Artilheira
Objeto Especial: Um anel dado pela minha mãe - herança de minha avó. Vem passando pelas mulheres da família há séculos!
Desilusão: Não ter irmãos e não ter conhecido os avós.
Aparência: Baixinha, magra, cabelos negros, compridos, ligeiramente ondulados, olhos azuis.
Personalidade:Estudiosa, cdf, porém arteira, moleca, brincalhona. Gosta de jogar quadribol e pregar peças nos amigos. É sincera e honesta, divertida, e defende seus ideais e seus amigos com unhas e dentes. Não mede esforços para alcançar seus objetivos. É determinada e corajosa, doce, meiga e companheira. Um tanto irritada e explosiva.
Animal de Estimação: Uma gatinha branca persa, a Lúthien.


Nome: Kysen Amoy Horpais
Apelido: Sheik, faraó... os amigos brincam com a origem dele.
Idade: 15 anos
Ano Escolar: 5º ano
Posição no Quadribol: Goleiro. (Modéstia a parte, bom)
Objeto Especial: Uma urna funerária, de um dos membros mais antigos da família.
Desilusão: ser menosprezado por suas origens.
Aparência: É um rapaz bonito de pele morena, alto, cabelos negros e cacheados maior que a maioria dos rapazes e olhos escuros. Um físico que denuncia a descendência árabe.
Personalidade: Inteligente sem grande esforço é reservado como o pai em seus assuntos pessoais, mas brincalhão com os amigos e conhecidos. Paquerador, mas leal: não excede o número de 4 "protegidas" ao mesmo tempo. Não ver problemas de ter mais de uma namorada lhe rende algumas confusões.
Animal de Estimação: Um falcão chamado Nuha, presente de sua avô materna (significa prudente, de fala inteligente em homenagem a ela).


Nome: Renan Watson McCartney
Apelido: ----
Idade: 15 anos
Ano Escolar: 5º ano
Posição no Quadribol: Batedora
Objeto Especial: Livro de pensamentos
Desilusão: Me tratarem como o bebe da família
Aparência: Rapariga alta (talvez a mais alta de Hogwarts), de cabelos compridos no seu castanho bem claro, tom de pele moreno e olhos castanhos, como não gosta da saia do uniforme, usa sempre botas, diz que não gosta que lhe vejam as pernas.
Personalidade: Personalidade orgulhosa e doce ao mesmo tempo, corajosa, sempre pronta a uma partidazinha qualquer pessoa, principalmente à Helena Syndar, da Corvinal, a tipa mais emporoada que já conheceu, tem a mania de falar pelos cotovelos e era bem capaz de ir até ao fim do mundo para salvar o seu querido gato Zeus.
Animal de Estimação: um grande gato preto chamado Zeus.


Nome: Juliet Dorthly
Apelido: Juli
Idade: 14 anos
Ano Escolar: 4º ano
Posição no Quadribol: não joga, torce de passagem para um "certo goleiro".
Objeto Especial: A pena, presente da mãe.
Desilusão: Saber que com aquele-que-não-deve-ser-nomeado livre, nunca terá certeza se o pai voltará para casa.
Aparência: Altura normal para uma garota, loira, olhos azuis, a pele tão clara que ruboriza quando ri.
Personalidade: É alegre e estudiosa, apesar disso parecer contradição. Está sempre com um livro por perto, mas larga-o de bom grado para ajudar um amigo.
Animal de Estimação: um gato chamado "Miau".


Nome: Nariman Wendel McGollon
Apelido: Nari
Idade: 15 anos
Ano Escolar: 5º ano
Posição no Quadribol: Artilheira
Objeto Especial: Uma adaga de cristal, encontrada em um cofre sob sua casa.
Desilusão: Sempre ter sido considerada excêntrica por sua família materna, por causa de seus devaneios repentinos que são quase visões, embora ela não seja vidente.
Aparência: Cabelos louros, compridos e meio ondulados, olhos verdes claros e parecendo sempre estar sonhando acordada.
Personalidade: É uma garota esperta, astuta e sabe raciocinar bem sob pressão, ao contrário de muita gente. Desde pequena sofre de alguns desmaios acompanhados de flashes, como visões - embora já tenha sido confirmado que a garota não é vidente - mas que, de algum tempo para cá, têm sido úteis. Socialmente, Nari tem espírito forte e competitivo, e sonha em comandar o time de Quadribol da Corvinal.
Animal de Estimação: Amber, uma coruja negra de olhos dourados.


Nome: Stephen Ludwig Parott
Apelido: Lud
Idade: 15 anos
Ano Escolar: 5º ano
Posição no Quadribol: Batedor
Objeto Especial: Um pequeno caderno preto, não é de valor, mas foi presente de sua mãe.
Desilusão: Não ser respeitado como deveria sendo herdeiro de uma das mais tradicionais familias sangue-puros.
Aparência: Alto, branquelo, com cabelos loiros e lisos na altura do olhos azuis.
Personalidade: Quieto, reservado e - de vez enquando - falso. Restrito a pequenos grupos de amigos e sempre está anotando coisas no pequeno caderno preto.
Animal de Estimação: Uma coruja branca das neves femea chamada Mandy.


Nome: Asheley Baskerville Doyle
Apelido: Não tenho apelidos, na verdade os detesto.
Idade: 15 anos
Ano Escolar: 5ºano
Posição no Quadribol: Não jogo...Prefiro a platéia.
Objeto Especial: Uma capa de invisibilidade, ganhei de aniversário dos meus avós.
Desilusão: Hogwarts aceitar sangues-ruins.
Aparência: É um pouco mais alta que as meninas em comum, tem a pele muito branca, chegando a ser um pouco pálida. Cabelos castanhos, lisos e abaixo do ombro, olhos castanhos claros que mostram um ar de superioridade.
Personalidade: É uma garota muito orgulhosa e cheia de si. Dificilmente assume seus erros e é meio mandona. Rebelde, fala o que quer, e sem pensar. Tem um jeitinho meio louco, e um pouco preconceituoso. É amiga de todos, que segundo ela merecem e odeia falsidade. Dificilmente retorna a amizade com quem a trai. Tem um gênio meio difícil, apesar de ser meio calada. Gosta de conviver com pessoas que pensem iguais a ela. Se for amigo de Asheley, pode contar com ela pra qualquer coisa.
Animal de Estimação: Uma gata meio amarelada chamada, Lua.


Nome: Lohara Isabelle Darkheart
Apelido: Todos me chamam de Lola.
Idade: 15 anos
Ano Escolar: 5º ano
Posição no Quadribol: Prefiro assistir.
Objeto Especial: Um porta-jóias que ganhei do meu avô quando fiz dez anos.
Desilusão: Ter perdido meu avô.
Aparência: Magra, altura mediana, cabelos louros-avermelhados e levemente enrolados, olhos azuis claros.
Personalidade: A primeira coisa que se sabe sobre Lola é que ela é mimada. Tem todas as características de uma garota que sempre teve tudo. Ser filha única influencia mais ainda essa parte de sua personalidade. Além disso, ela gosta de se dar bem, não importa o que ela tenha que fazer para isso. É muito egoísta, não gosta de perder e nunca assume que errou. Sempre tenta jogar a culpa nos outros. Em Hogwarts, Lola encontrou mais pessoas como ela, e mantém amizade com essas pessoas, de quem realmente gosta. É apegada aos amigos e vive de aparências. Está sempre linda e perfeita. Mantém no rosto um ar superior, de quem sabe que o que quer consegue. Perfeccionista como a mãe, Lola se cobra demais, tem sempre que ser a melhor em tudo.
Animal de Estimação: Um gato branco e peludo (persa) chamado Bubbles.


Nome: Maximillian Fierman Lonen
Apelido: Max
Idade: 14 anos
Ano Escolar: 4º ano
Posição no Quadribol: Batedor
Objeto Especial: Minha varinha, sem ela, o que seria de mim?
Desilusão: Ah, não tantas... Mas confesso que meu orgulho ficou ferido quando não fui a casa dos inteligentes, porque sei que sou bastante... Mas a quem diga que meu orgulho é ainda maior.
Aparência: 1,76 de altura, 77 kg, olhos azuis, cabelos pretos e lisos e até um pouco acima do ombro.
Personalidade: Orgulhoso ao extremos, se ceder a algo ou alguém, é porque considera muito a pessoa, ou então está de MUITO bom-humor. Em geral é bem humorado e não possui o preconceito habitual por grifinórios, apenas por aqueles que não gosta (A maioria, huahuahua!)
Animal de Estimação: A minha coruja Freya, mas quando vou ao jardim, uma raposa se junta a mim. Já até dei nome a ela: Íris.


Nome completo: Elizabeth Chevallier Lindenberg
Apelido: Lizzie
Casa a que pertence: Sonserina
Idade: 15
Ano escolar: Quinto
Posição no quadribol: Artilheira
Varinha: Cerda de um testrálio, bordo, 9 polegadas. Boa para azarações e maldições.
Objeto especial: Um anel que contém uma serpente com olhos de esmeralda, que fica guardado em sua gaveta, presente de seu avô, um ex-sonserino.
Desilusão: Ver que sua irmã é tão infantil e patricinha.
Aula que mais gosta: Defesa Contra a Arte das Trevas e Poções.
Aula que mais detesta: Aritmancia.
Quem admira: Não tenho tempo para ficar achando ídolos nos quais me inspirar.
Sonho secreto: Você realmente achou que eu ia falar?
Aparência: Alta, olhos cinzas, cabelos loiros lisos levemente ondulados.Tem um corpo esbelto, é realmente linda e tem a aparência delicada, embora não a seja.
Personalidade: Elizabeth é uma garota extremamente teimosa e decidida. Sempre consegue o que quer. Diferente da irmã, Catherine, nunca se interessou por futilidades. Tem tendência e perder a paciência com lufa-lufanos e gosta de "praticar" maldições e azarações em primeiranistas desavisados. Quando está em casa sempre consegue irritar seu pai, que a deixa de castigo. Orgulhosa, gosta sempre de dar a última palavra. Adora quadribol e é artilheira da sua casa, Sonserina. Tem habilidade em duelos e é excelente em preparo de poções. Ainda contra a criação que lhe fora imposta, a menina não se preocupa com questões de sangue. Claro que todo o convívio com a família lhe impôs um certo nojo por pessoas de sangue-ruim. Apesar de não ser um modelo de aluna sempre passou com méritos em todas as matérias. É sempre cabeça-dura, mas também é bem-humorada e divertida. E tem o seguinte lema: não me incomode que eu não te mando pra ala hospitalar.
Animal de estimação: Uma coruja acinzentada chamada Hades, que é extremamente inteligente e temperamental.


Nome: Andrey Storm
Apelido: Andy
Idade: 15 anos
Ano: 5º ano
Quadribol: Apanhador e capitão do time.
Objeto especial: Uma capa da invisibilidade.
Desilusão: Ter uma irmã na sonserina.
Aparência: Alto, cabelos castanhos claro, olhos cinzentos. Muito bonito. Pele branca.
Personalidade:Ele é um menino de boa índole, mas personalidade forte. Bom amigo, fiél, companheiro. Simpático, inteligente, sempre de bom humor. Dedicado aos estudos e a tudo o que se propõe fazer. Humilde e modesto.
Animal de estimação: Uma coruja-das-torres chamada Penélope.

~Diários Mágicos


Liv Dreamer
Livro de Pensamentos
Mansão Ludwig
Pensamentos de Callista
Pesadelos de uma Sonserina

~Blogs Irmãos


Magic Spell
Magic Story
Accio Cérebro

~Blogs Bruxos


Bruxo Potter
Expresso Hogwarts
Os Corresdores de Hogwarts
Planet Hogwarts
Amy Waters
Diário da Hillary
Serena Parks
Amy Morgan
A Penseira de Arwen Potter
Accio Dolls

~Link-us





~Beco Diagonal


Fan Fiction
Floreios e Borrões
Floreios e Borrões: Diego Potter *
Fan Fiction ~ Silverghost*
Fan Fiction ~ Mysteriousdoll

*:Links Recomendados.

~Aliados



~Concurso





~Penseira


Novembro-2005
Outubro-2005
Setembro-2005
Agosto-2005
Julho-2005

~Visitantes


Bruxos Visitaram ~

~Disclaimer


Harry Potter, nomes, personagens, lugares e demais fatos relacionados são propriedade de J.K. Rowling, Warner Bros, Bloomsbury, Scholastic, etc.
Este site não possui fins lucrativos.

~Design


Elizabeth Lindenberg © 2005 Proibida a cópia e/ou reprodução.

terça-feira, 22 de novembro de 2005



Mais um fim de semana. E Helga Hufflepuff, seja lá onde estivesse, estava olhando pelos seus pupilos. Um deles, um jovem de olhos cinzentos profundos, óculos e cabelos castanhos se dirigia para o campo de quadribol. Era um sábado ensolarado e um dia muito importante para Andrey Storm: era sua primeira atuação como capitão do time de quadribol da Lufa-Lufa. Tomou seu café da manhã rapidamente junto com os demais alunos de sua casa e rumou para fora do castelo com sua prancheta. Esperaria os candidatos ao novo time já a postos. E também pelas amigas que se comprometeram em auxiliá-lo com o importante apoio moral.

Logo os candidatos começaram a chegar. Iam se sentando próximos ao capitão enquanto aguardavam todos os inscritos chegarem para receberem as instruções.

De longe, os olhos míopes enxergaram o seu objeto de sonho caminhando ao longe ao lado da melhor amiga. Callista Graham e Liv Spellman e... Sirius Black e Tiago Potter? O que eles faziam com elas ali, rumando para o campo de quadribol? Eles pareciam falar e gesticular, as garotas riam e balançavam a cabeça. Liv fez um sinal com os dedos concordando com algo... Então eles voltaram para o castelo e as meninas seguiram sozinhas. Andy suspirou aliviado. Não seria nada agradável selecionar o novo time da Lufa com o power Potter na arquibancada. Embora no dia da seleção deles, ele estivesse presente... Não necessariamente para observar a seleção em si, o assunto era mais... pessoal, digamos assim.

As duas grifinórias aproximaram-se do rapaz, sorrindo e chamando a atenção dos lufas presentes.

- Demoramos, chefinho? - interrogou Liv, com um amplo sorriso.

- Não, não demoraram... Ehr... Oi Graham...

- Olá Andy - cumprimentou a garota de olhos lilás, dando-lhe um inesperado beijo na bochecha. Liv apenas observava atenta a cena super fofa diante de seus magníficos olhos azuis. Ninguém nunca lhe dissera nada. Mas precisava? Estava na cara que se gostavam, os dois pombos.

O rapaz corou e deu seguimento ao processo:

- Bom, acho que agora já estamos todos aqui. Que tal começarmos o processo de seleção pelos candidatos a goleiro? Rapazes e garotas, essas são Callista Graham e Liv Spellman, artilheiras da Grifinória, minhas amigas e vão tentar furar o bloqueio dos candidatos a goleiro... Aceitaram o meu singelo convite de me auxiliar na escolha do novo time da nossa casa.

Enquanto se dirigiam para o campo, Andy puxou Liv mais para o canto, que foi seguida imediatamente por Cal.

- O que diabos Black e Potter estavam fazendo com vocês? Eles vinham também?

- Não esquenta, chuchu, eles queriam que nós duas espionássemos para eles. Mas não será necessário, como nós mesmas dissemos... - respondeu a grifinória de olhos azuis com uma piscadela de olho.

- Bom, então vamos lá... - continuou o rapaz - vamos começar por aqui... Nicolly Gardner?

Uma jovem quartanista da Lufa-Lufa, de cabelos muito negros, lisos, com cachos discretos nas pontas, olhos azuis cor de céu, rosto de boneca e muito sorridente veio caminhando em direção ao trio. Era impressão de Callista ou ela não tirava os olhos do apanhador?

O jogo começou. As meninas subiram em suas vassouras. Cal e Liv bombardeavam a lufa-lufana, que defendia brilhantemente quase todas as investidas das grifinórias. Terminado o tempo de Nicolly Gardner, foi a vez de Susan Reed, uma ruiva de sardas e nem de longe bonita como a primeira candidata, embora muito simpática também. Mais uma vez o trio de garotas subia para o céu enquanto o capitão observava o desempenho das candidatas.

Mais 4 candidatos a goleiro foram testados. Digamos que somente um do sexo masculino. A maioria em peso dos candidatos ao time da Lufa era feminina.

- Ora, não entendo de onde sai tanta menina pra jogar quadribol! Andy vai ser o bendito o fruto do time se for assim! - dizia Cal, num tom de brincadeira. Liv sorriu marotamente, entendia muito bem o que devia estar se passando na cabeça da amiga.

Terminados todos os testes, os três amigos se dirigiram para o vestiário para discutirem, enquanto os candidatos aguardavam no campo.

- Então, o que acharam? A Perkins é boa artilheira, já temos a Sky e a Silver... Preciso de mais uma... Acharam alguém melhor do que a Perkins?

- Ora, tem aquele garoto, o Simpson, não gostou dele, Andy?

- Não muito, Cal, acho que falta mais atitude nas jogadas... Ele me pareceu meio travado.

- Eu gostei da Perkins... - disse Liv, ganhando um olhar discretamente estuporante da amiga.

- Bom, quanto à goleira, eu acho que nem tem o que discutir - continuou o capitão - a Gardner foi praticamente perfeita! Só deixou um furo no ataque de vocês, que são as melhores artilheiras da escola!

Callista fez um muxoxo.

- O que foi, Cal? Disse alguma coisa? - perguntou Liv.

- Não, é que talvez devêssemos avaliar melhor os candidatos... Vai que a garota estava só empolgada...

- Ora, Cal, a menina realmente é boa! Acho que nossos chefinhos não vão querer adversários fracos jogando contra o Magic Team da Gryff. Os outros candidatos são bons, mas essa garota realmente...

- Pra mim está mais que decidido... fica a Gardner.

Cal apenas suspirou, enquanto continuaram a discussão. Fim das contas: somente 01 rapaz entrou no time, um batedor. O restante...

- Um time inteiro de garotas! Andy e suas Lufetes! - brincou Cal, com uma pontinha de sarcasmo na voz.

- Acho que o Moore não vai gostar muito de ser chamado de lufete, Cal! - riu Andy, um tanto surpreso e cheio de si com o comentário da garota.

Voltaram para o castelo, já era quase hora do almoço. As garotas despediram-se de Andy, que ficou com uma impressão gostosa... parecia que flutuava... Será que Callista estava com ciúmes dele? Enquanto caminhava, acabou por decidir que tudo não passava de impressão, de mais algum devaneio que ele gostaria que fosse verdade, que estava vendo coisa onde não tinha... Mesmo assim, almoçou feliz.


Escrito por Andy e Liv

Enfeitiçado por Andrey Storm - 10:28:16 ::
2 corujas.

segunda-feira, 21 de novembro de 2005



Depois de algumas semanas normais, sem desmaios, Nari ainda não se esquecera do que vira da última vez. Preferiu calar-se até conseguir ter idéia do que fora aquilo, mas sentia que não conseguiria esconder a visão por mais muito tempo, principalmente porque Renan não passava um dia sem perguntá-la se agora ela conseguia lembrar o que tinha visto.

No começo, era fácil dizer "Não me lembro", porque Nari não conseguia contar à amiga o que fora. Mas, ao passar dos dias, ela estava ficando sem desculpas para si mesma, pois agora ela realmente sabia como descrever o corredor escuro e as duas pessoas conversando. Havia algumas poucas noites que ela passara em claro para terminar trabalhos nas quais a loura tivera tonturas, mas não chegara a desmaiar outra vez.

A corvinal pensava nisso enquanto saía da Torre de sua Casa com os materias nas mãos para a aula de Feitiços com a Grifinória. Esperava encontrar sua amiga ruiva e, já que a aula do Prof. Flitwick era tranqüila para conversar, Nari planejava contar a ela sobre seu desmaio. Quando se aproximava da sala de Feitiços, Renan veio andando em direção à ela, igualmente segurando seus materiais, com a pergunta já conhecida:

Bom-dia, Nari. E a visão, você lembrou?

Bom-dia também, Renan, respondeu ela, parando de andar. Olha, eu vou te contar o que eu vi, mas esperemos o sinal tocar e o professor cheg...

Nesse momento, ouviu-se o soar da sineta e Flitwick chegou, afobado, na sala de aula. Com um sorriso, Renan deu passagem à Nari com uma reverência e entrou logo atrás, seguindo a amiga até duas carteiras ao lado da janela e perto dos fundos da sala. Os demais estudantes se acomodaram em seus lugares e o minúsculo professor deu início à sua aula, falando basicamente o que teriam de fazer e explicando o encantamento que deveriam realizar, com sua vozinha aguda. Depois, quando o tempo para a prática foi dado, o aposento se encheu de conversas e, ora ou outra, alguém pronunciava as palavras do feitiço novo.

E então? perguntou a ruiva grifinória, apoiando-se, curiosa, sobre a mesa.

Nari suspirou. Então era essa a hora. Fazendo o máximo para se concentrar e lembrar da visão, a loura começou:

Bom... demorou um pouco para eu me situar no espaço, mas logo vi que era um corredor e...

A corvinal tentou detalhar o máximo possível para que depois pudesse compartilhar suas dúvidas com clareza. Renan ouvia, interessada, uma leve ruga entre as sobrancelhas. Ao terminar da história, Nari esperou pelo comentário da amiga, mas nada veio. Ela, ao invés disso, parecia absorver cada palavra que acabara de ouvir e raciocinar com calma.

Olhe, não posso lhe dizer exatamente o que é, porque também não consegui formar uma idéia sólida, explicou ela, mas se você tiver outro desmaio desse tipo com uma visão semelhante, me procure e falaremos depois.

Balançando a cabeça, a loura retornou a coluna virada para a frente e encarou a caixa de almofadas sobre a mesa de Flitwick.

Enfeitiçado por Nari McGollon - 21:57:39 ::
2 corujas.

domingo, 20 de novembro de 2005



A manhã quente fazia com que o dia ficasse abafado e ruim para ficar preso em uma sala de aula ouvindo o professor falar sobre os treze usos do sangue de dragão ou o quanto fora interessante a guerra dos duendes irlândeses com os duendes Bulgários.

A sineta tocou denunciando a hora do almoço, Stephen Ludwig fora o primeiro a cair fora da sala sem nem ao menos esperar seus amigos, tudo que ele queria no momento era um bom gole gelado de suco de abobóra.

-Ai.. me desculpe-Disse uma ruiva de cabelos longos e lisos que tropeçou com Stephen.

-Olhe por onde anda Evans...-Ralhou o rapaz saindo dali sem nem olhar para a garota, estava quente demais até mesmo para uma briga.

-Esses sonserinos que não prestam nem para ajudar uma dama..-Falou Thiago ajoelhando-se ajudando Lilian a pegar os livros

-Não preciso de ajuda Potter, obrigada-Falou antes de sair pelos corredores com Thiago aos seus calcanhares.

-Patéticos, grifinórios idiotas, imbécis..-Resmungava para si mesmo enquanto entrava no salão principal.

Sentou-se rapidamente na mesa e logo se serviu de dois copos cheio de suco gelado, estava realmente refrescante, ótimo para o dia. Tanto que ele nem percebeu a estranha coruja que pairava pelo teto do castelo em horário impropio, a mesma vôo de encontro ao sonserino.

-Ai! ave idiota!-Assustou-se Parott derrubando o copo no chão e se virando para a ave e vendo que ela carregava um envelope pardo com letras corridas.

" Stephen, segundo o seu irmão, você não lhe deu o recado sobre o que dizemos na carta e não anda cuidando bem dele. Você sabe o quanto dificil é tomar conta de uma casa e um status pessoal tento que tomar conta de uma criança a distância, não sabe? Eu tenho que manter o nome da familia, espero que dessa vez entenda isso. Pensei que tivesse maturidade o bastante para cuidar de si e de seu irmão, pelo visto me enganei.. espero estar certa, espero ter certeza que posso confiar em você para isso.

Beijos, Mamãe.
"


Stephen livido de raiva pegou seu pequeno caderno preto, que não se separava dele, e escreveu em letras corridas a resposta para a sua mãe.

"Julianne, se quiser que alguém cuide de seu filho vinte quatros horas por dia, contrate uma babá."

Enrolando o papel rapidamente no pé do animal, a jogou para o alto, onde ela deu uma pirueta e vôo de encontro ao céu azul.

-Era só o que me faltava agora... fazer papel de babá... me poupe-disse enquanto se servia de mais um copo de suco.


Postado por: Stephen Ludwig

Enfeitiçado por * - 02:40:51 ::
6 corujas.

sexta-feira, 18 de novembro de 2005



A loira levantou a cabeça lentamente. O céu azul pairava sobre sua cabeça. Os braços, que permaneciam imóveis ao redor do joelho, estavam quase insensíveis. As nuvéns estavam rasas, como se fossem uma falha da perfeita coloração azulada. Soltou os braços no lado do corpo e ajeitou-se mais confortavelmente no tronco nodoso da árvore em que se escorava debilmente. O vento brincava com algumas folhas dos cadernos pretos jogados ali perto. Olhou discretamente para os lados como que procurando por alguém. Não encontrando nada que pudesse testemunhar algum de seus atos, permitiu que algumas lágrimas rolassem silenciosamente pelo seu rosto alvo e delicado. As secou rapidamente com as costas da mão. Raros eram os momentos em que se permitia ter alguma fraqueza, deveria permanecer sempre forte, impenetrável, inatingível. Tirou um elástico do bolso da capa e amarrou os cabelos num coque frouxo. Juntou os materiais rapidamente com a varinha e caminhou a passos firmes até o campo de quadribol. Conjurou sua vassoura e largando os materiais em um banco qualquer da arquibancada subiu na vassoura e levantou voo. O vento fazia alguns de seus cabelos, que escaparam do coque, voassem alguns centímetros. Não percebeu um par de olhos azuis claro a observando do chão. Voava sem destino certo ao redor do campo, como se treinasse com companheiros invisíveis. Meia hora mais tarde voltou ao solo. Fechando os olhos respirou profundamente.

-Lindenberg, que está fazendo aqui? - uma voz surgiu em suas costas.

Ela reabriu os olhos espantada por não ter notado a presença de ninguém no campo. Recompôs-se e virou para encará-lo.

-O que é que você acha Black? Estou voando, é claro - ela falou asperamente.

-Esta na hora do nosso treino. - ele falou em tom de quem comenta sobre o tempo.

-E eu estou de saída. - ela falou não querendo prolongar o bate boca.

-A não ser que queira esperar o treino acabar para conversarmos melhor - ele falou, maroto.

-Só se a sua boca... - ela começou andar em direção a ele sorrindo maliciosamente - falar com... - ela passava o dedo pelo rosto dele, quase como uma carícia - a minha mão. - ela finalizou fechando a mão, como que para dar um soco.

-Eu prefiro a minha boca falando com a sua - ele falou sem perder a pose.

Ela revirou os olhos e passou por ele. Voltou alguns passos, antes que ele virasse para encará-la.

-Eu acho, que isso não é uma boa idéia - ela fianlizou sussurrante em seu ouvido.

Ele virou rapidamente, para pegá-la de surpresa, mas ela já esperava por isso, deu as costas e saiu com a vassoura no ombro em direção a arquibancada onde seus materiais estavam.

-Sinceramente Black? Está na hora de você ou mudar suas táticas e cantadas baratas ou ser mais ágil - e dando uma piscadela marota e debochada saiu novamente em direção ao castelo, passando por Liv Spellman e Callista Grahan e fazendo questão de esbarrar nelas.

Ainda assim, os olhos azuis, passaram despercebidos por ela.

Enfeitiçado por Lizzie - 23:04:34 ::
3 corujas.

quinta-feira, 17 de novembro de 2005



Andando um pouco mais rápido do que o normal pelos corredores, Callista sabia que ia chegar em cima da hora da aula de poções, tinha ficado muito tempo conversando com Juli e nem viu a hora passar. Foi descendo as escadas em direção as masmorras com pressa e viu que os alunos estavam começando a entrar na sala de aula.

"Cheguei a tempo" ela pensou ao se aproximar dos últimos alunos que entravam para a aula. Chegando na porta da sala, ela olhou em volta procurando a Liv e viu que as paredes da sala estavam começando a fechar. Cal sentiu seu coração disparando e se segurou no batente, lutando contra essa insegurança. Ela repetia para si mesma que não estava acontecendo nada, que estava tudo normal. Mas quanto mais ela repetia isso mais as paredes fechavam sobre ela.

Em um ataque de pânico, a grifinória largou seu material e saiu correndo. Corria desesperadamente pelos corredores, tentando sair de perto daquelas paredes. Ela sentia que todo o castelo iria cair sobre ela, que tudo aconteceria novamente e ela ficaria presa.

"Os jardins! Tenho que ir para fora daqui!" Era o único pensamento conciso que ela tinha e se esforçava para mantê-lo. Alguns alunos podiam jurar que viram uma maluca correndo e derrubando tudo e todos. Eles não repararam o desespero que estava no rosto da jovem.

Finalmente Callista sentiu a brisa dos jardins de Hogwarts e quando percebeu que estava bem afastada do castelo ela caiu no chão e chorou. Por mais que tentasse se controlar, as lágrimas e o temor eram mais fortes. A garota estava em um estado tão confuso que nem percebeu a aproximação de algumas pessoas que olhavam para ela com curiosidade.

- Ora, vejam só o que temos aqui: uma grifinória chorando. Tem algo de errado acontecendo no mundo perfeito. Veja, ela nem responde nem se mexe. - Lola Darkheart se aproximava com um sorriso maldoso.

- É praticamente um presente que ganhamos. - Respondia Stephen Parrot - Vamos ver quem é a vítima.

Quando o sonserino levantou o rosto da jovem, se assustou. A expressão de pânico e medo estava misturada com a dor nas lágrimas dela, era alguém que não estava lá para responder ou fazer nada.

- Lola venha ver quem é, a Graham. Salazar nos dá um presente dos deuses.

- Melhor ainda! Uma sangue-ruim que podemos azarar e sair sem que aconteça nada conosco.

- Só azarar? Vou acabar com a raça dessa coisa agora mesmo! Apesar do que gostaria de saber o que a atingiu. Ela é sempre tão sarcástica, vive me desafiando. Agora está um caco e nem fui eu que causei, queria poder parabenizar a pessoa que fez esse excelente serviço. - Ele olhava curioso para Cal que tentava se mexer e sair, mas não conseguia. O sonserino sorriu ao ver Lola levantar sua varinha e apontar para a garota.

- Expelliarmos! - Liv tinha sua varinha em punho apontada para Lola que nesse momento via sua varinha longe. - Saiam de perto da minha amiga ou estuporo vocês!

Ao lado de Liv estava Max Fierman que, a pedido da grifinória, foi junto procurar Cal após os dois terem achado o material dela na porta da sala de aula. Ele também olhava para os dois sonserinos, com sua varinha em punho apontada para Stephen. Max deu uma piscada para o rapaz mostrando que não poderia ir contra a grifinória. Vendo que não iriam ganhar, Parrot e Darkheart foram embora discutindo sobre o que deveriam ter feito.

Os dois se aproximaram de Callista que até agora não tinha demostrado nenhuma reação ao que tinha acontecido a sua volta. Liv se abaixou e levantou o rosto da amiga que olhava para ela pedindo ajuda.

- Liv? - Cal a abraçou. - Obrigada. Eu, eu...

- Tá tudo bem... Max foi buscar Madame Pomfrey, vai ficar tudo bem...

Após ser sedada para entrar no castelo e ir para a enfermaria, Cal ficou em observação pelo resto do dia. Seu irmão foi pedir explicações para a enfermeira da escola, pois a irmã tinha tomado a poção para controlar sua fobia de lugares fechados.

- Olhe o tom rapaz. Sua irmã está crescendo e ela vai ter que tomar doses mais fortes, por isso o efeito foi rápido. Ela tem sorte dessa poção existir ou ela não teria uma vida normal. Se quiser fazer algo de útil, fique com ela e não a repreenda.

- Desculpe, a senhora está certa. - Virando para Liv que também estavam na enfermaria. - Liv você se importa em pedir para o seu amigo sonserino não comentar sobre isso.

No dia seguinte para surpresa da grifinória de olhos violeta, ninguém sabia que tinha passado mal. Por algum motivo Stephen e Lola ficaram de boca fechada. Ela iria aguardar o que esses dois iriam fazer com o que viram.

Enfeitiçado por Cal - 08:08:37 ::
4 corujas.

segunda-feira, 14 de novembro de 2005



Tudo novo!

Nós do magic Past temos o imenso prazer de anunciar a nossa segunda versão, que conta com novas dolls e um novo template preparados pela sonserina Lizzie.
Espero que todos tenham gostado do novo visual.

***



O dia em Hogwarts estava anormalmente nublado e chuvoso, um dia nada perfeito para o que alguns alunos da Sonserina esperavam por tanto tempo: o primeiro treino de quadribol.

-Nem começe Ehtroids, nós vamos trieinar de baixo de chuva, mesmo que ela seja de ácido!-Disse o baixinho treinador correndo em direção ao campo.-Muito bem, todos para o vestiário-Disse entrando sem esperar ninguém.

Todos entraram cansadamente no vestiário e começaram a colocar as vestes de jogo para o treino que aconteceria dentro de alguns minutos. O capitão repassava em voz alta todas a jogadas e dicas que sempre fazia em todos os jogos, ou treinos no ano passado.

-Lonen e Parott, vocês já sabem o que fazer, vamos ver se melhoraram desde o ano passado.

-Creio que isso não foi para mim, não é a toa que eu estou a três anos no tim, ou estaria enganado?-Respondeu Stephen para o menino baixo

-Não, lógico que é para você, afinal todos sabemos quem foi eleito pelo time o melhor batedor do ano passado.-Falou o moreno

-Claro, ameaçando os jogadores para votarem em você...

-Vocês dois, parem já com isso, ou eu tiro os dois do time!

-Você sabe que não faria isso, afinal somos os únicos que realmente jogamos bem aqui, e a Lizzie também, claro.-Disse Stephen colocando a vassoura no ombro e saindo do vestiário, mas antes recebeu um sorriso da amiga loira.

O treino começou ao mesmo tempo que grossos pingos de chuvas caiam do céu. Stephen olhou para cima e pensou como seria bom voltar a voar mais uma vez. Montou em sua vassoura e deu um pequeno impulso para frente, o que em segundos os outros fizeram também.

-Tudo bem! Eu vou liberar as bolas!-Gritava o baixinho lá de baixo para todos ouvirem.

Dois grandes e gordos balaços vermelhos voaram acima, uma pequena e lustrosa bolinha dourada começou a agir rapidamente e , por fim mas não menos importante, a grande goles fora jogada para cima. O treino começou e tudo que se ouvia era o zumbido que dava a impressão de ser a voz do iritante capitão gritando como eles deveriam agir.

Um dos balaços correu rapidamente na direção do rosto de Stephen, o qual levantou o bastão e o arremessou contra Max. O moreno estava distraido olhando para o outro lado, mas assim que ouviu um zumbio forte do vento virou para trás a tempo de rebater o balaço contra um dos artilheiros.

- O QUE VOCÊS ESTAM FAZENDO? É PARA TIRAR OS BALAÇOS DA DIREÇÃO DELES E NÃO TENTAR DERRUBA-LOS!-Gritava o capitão que voara até lá.

Stephen lançou um olhar triufante a Max antes de voltar a sua atenção a volta de outro balaço contra ele. Mas antes que pudesse rebater o que vinha pela frente, um outro o atingiu bem do lado do rosto, fazendo o cair da vassoura e indo para o lamaçal.

- ÓTIMO! DESÇAM! DESÇAM!! ESTÁ IMPOSSIVEL TREINAR HOJE!-Berrou fazendo todos descerem.

Stephen levanta-se com dificuldade do chão e logo agarrou a vassoura que vinha em sua direção magicamente.

-Boa pega Parott-Disse Max saindo de lá sorrindo animadamente.

-Mas que...

-Stu, tudo bem?-Perguntara Lizzie que acabou de pousar ao lado do amigo.

-Tudo ótimo Lizzie, obrigado.

-Você caiu alto, não?-Perguntou a loira olhando para cima- uns 7 metros

-Eu estou bem, já disse-Disse o sonserino fingindo não sentir o braço que latejava.


Por: Maximillian, Stephen e Lizzie

Enfeitiçado por * - 05:11:35 ::
15 corujas.

domingo, 13 de novembro de 2005



Elizabeth fitava o dossel verde musgo da sua cama. Tal como um gato espreguiçou-se lentamente. Sentou-se na cama de lençóis de seda preta que contrastavam com sua pele alva. Levantou-se sentindo o frio do mármore enregelar seus pés aquecidos. Rumou para o banheiro de pedras negras aonde despiu-se e tomou um banho quente. Enrolou-se na toalha e parou perante o espelho passando a mão para tirar o vapor de água que ali ficara. Se considerava uma moça bonita. Seus cabelos loiros e sua pele alva contrastando com os lábios avermelhados e cheios. Seus olhos cinza continham um mistério charmoso e podia encontrar, ao fundo, algum resquício de azul. Seu rosto tinha os traços delicados e era fino. O sorriso, dado em raras ocasiões com os amigos, era de dentes brancos e retilíneos. Dando uma última olhada no espelho voltou para o quarto aonde vestiu o uniforme verde e preto que lhe era habitual. Jogou a mochila sobre os ombros e saiu do dormitório feminino.

O salão comunal abrigava alguns poucos sonserinos que se atreviam a acordar cedo em pleno sábado.

-Bom dia Lud - cumprimentou a menina parando ao lado de uma poltrona.

-Bom dia Lizzie - respondeu educado. - Que faz acordada tão cedo?

-Poções avançadas - justificou dando ombros.

-Ah, sei. Bom, já que está aqui, me acompanha para o café? - disse ele estendendo o braço para a amiga.

Ela ia falar alguma coisa, mas limitou-se a fechar a boca e seguir o amigo.

-Com prazer. - disse ela aceitando o braço.

Eles chegaram no salão aos risos às custas de uma lufa-lufana, terceiranista provavelmente, que havia tropeçado 'acidentalmente' nos últimos degraus da escadaria e caiu por cima dos livros no chão.

-Patético - riu a menina, maldosa.

-Lufas asquerosos - desdenhou ele.

Sentaram-se na ponta isolada da mesa e puseram-se a comer algumas torradas.

-Então Lud, que é que vai fazer hoje?

-Temos treino, esqueceu?

-Ah, é, realmente tinha esquecido- falou a loira fazendo pouco caso.

-É, bom, em todo caso, vamos treinar aquela tática nova, super secreta, sabe? - falou ele rolando os olhos ao imitar a voz do capitão do time.

Ela riu.

-Hm, hei Lizzie, não é o Hades? - disse o sonserino apontando uma coruja cinza, imponente, vindo na direção dela.

-É, é sim. Estava realmente achando estranho. Os meus 'adorados' pais nunca demoraram tanto para escrever e mandar as coisas que Catherine esquece.

Ela retirou um pacote e uma carta e deu uma torrada em agradecimento á coruja que voou satisfeita ao corujal. Limpou os farelos das mãos com delicadeza em um guardanapo e olhou a carta curiosa. O pacote era, de fato, para Catherine, entretanto a carta estava endereçada a ela. Pediu licença ao amigo e abriu o envelope negro que deu origem a um pergaminho pálido. Desenrolou e leu atenciosamente.


Cara Elizabeth


Escrevo-lhe porque necessito avisar-te que está convocada a aparecer na ceia de natal na mansão Lindenberg este ano. Tenho assuntos de vital importância para tratar contigo. Sua presença é, então, de extrema importância por isso lhe aviso que não ouse faltar.

Sua mãe ainda pede para que entregue o embrulho para sua irmã.

Quanto a presença dela na ceia é opcional, mas creio que ela virá como fez em todos os anos anteriores.

Aguardo-as no natal.



Sinceramente.

Edward Lindenberg



Ao terminar de ler a carta a menina arqueou uma das sobrancelhas. Seu espanto estava estampado em seu rosto, provavelmente, pois não passou muito até que Stephen lhe perguntasse o que havia.

-Está tudo... - ela decididamente não conseguia dizer 'bem'.

Tinha uma leve, e terrível, suspeita sobre o assunto que o pai queria tratar com ela. Foi salva pelo sinal que tocara no exato momento em que o sonserino iria lhe perguntar algo. Pegou o pacote de sua irmã, despediu-se com um breve aceno de cabeça e rumou para a aula de poções.

Enfeitiçado por Lizzie - 02:26:43 ::
4 corujas.

sexta-feira, 11 de novembro de 2005



Mal tinha começado as aulas e os deveres já estavam vindo. Os alunos do 5º ano já corriam com suas matérias lotando a biblioteca e falando do desespero que será estudar para os NOMs. Nessas horas Cal sorria, só iria se pensar nisso no ano seguinte e nesse momento só tinha que se preocupar com poções, uma das suas piores matérias.

- Madame Pince, não estou conseguindo achar nenhum exemplar de "Explicações Detalhadas - Poções Simples".

- Muitos alunos já pegaram alguns exemplares. Somente tenho mais um que está naquela mesa ali, onde vários alunos já estiveram estudando e não guardaram. Aproveito para lembrá-la que se tirar algo do lugar, deve guardar.

Andando um pouco mais ao fundo, a grifinória vê uma mesa cheia de livros deixados fora do lugar. "Devem estar levando a Madame Pince a loucura, para ela deixar ficar assim." E começou a procurar seu livro no meio de todos na mesa.

Quando finalmente conseguiu achar o livro, este lhe foi tomado das mãos por um aluno da sonserina.

- Ei! Eu peguei primeiro, tenha educação! - Cal vira para ver quem foi e para sua tristeza foi Stephen Parrot da Sonserina.

- Bem, certamente vopcê não está falando comigo. Você não teria coragem o bastante para fazer isso sem ter permissão...

- Teria sim STEPHEN! Principalmente para pegar meu livro de volta.

- Você move montanhas sabia? Porque elas se afastam quando veem você chegando, tem medo que você rele nelas e elas se contaminem...

- Você inventou essa sozinho? - Cal faz uma cara de espanto

- Não, as montanhas me falaram, que burra que você é Graham... Sujeitinha de sangue ruim mesmo...

- Você se liga muito em sangue... É um vampiro?? - Ela estava decidida a irritá-lo.

- Não, mas eu conheço o conde Drácula, senhor dos vampiros. Eu sou uma pessoa influente nesse meio, só conheço pessoas importantes, diferente de certas pessoas...

- Afinal, eu só conheço TODO mundo da aristocracia bruxa... Ninguém tão importante quanto o conde vampirinho...

- Sim, claro que você conhece, por figuras e histórias em livros, mas eu os conheço pessoalmente. Isso sim é ser importante em uma sociedade, e como você não deve saber , é claro, o sangue puro é muito importante.

- Sabe Stu, minha família é tão ou mais influente do que a sua. Aprenda a fazer o seu dever de casa antes de falar o que não sabe.

- Mr.Ludwig para você, apelidos só para amigos intimos, o que você está longe de ser, Graham.

- Aaaaaaaaaaaaahhhhhhhhh, STU - Cal imita a cara da Lola quando ela fala melosamente 'Stu' - Deixa eu falar o apelido....

- Faça o que quiser, sangues ruins são selvagens, podemos ver isso com você que não é capaz de seguir nem uma regra, não é mesmo Graham?

- Regra?? - Callista pega o livro de regulamentos de Hogwarts e começa e folhear...

- Olhe bem para ver se você consegue aprender algo, o que eu duvido...

- Stu, vi que não tem nenhuma regra com o seu nome... - Cal pegou o livro das mãos do rapaz - E esse livro fica comigo.

Stephen revira os olhos sem paciência.

-Claro que você fica com isso ai, acabou de sujá-lo todo. Madame Prince deveria ter mais amor nos livros que ela tem aqui e não deixar pessoas como você Graham, entrar aqui. -Retrucou o garoto.

Callista abriu a boca para retrucar o sonserino mas foi impedida por Stephen que estava olhando ao redor e viu um pequeno garoto do terceiro ano passando com um mesmo exemplar "Explicações Detalhadas - Poções Simples".

- Mê de isso aqui pirralho! - Disse Stephen arrancando o livro da mão do garoto que olhou feio para ele. - Tá olhando o que? Cai fora.

- Vo... - Ia começar Cal para apoiar o menino

- Me poupe Callista, você tem seu livro e eu o meu. Me poupe de comentários sujos que nem os seus. Passar mal. - Disse o sonserino dando meia volta deixando Cal e o pequeno garoto ali.

- Tome. - Disse a grifinória dando o livro dela para o menino que estava com olhos marejados.

- Não.. eu..

- Tudo bem, pode ficar. - Terminou Cal.

O menino deu um belo sorriso antes de pegar o livro e logo em seguida foi embora. Cal ficara ali esperando alguém aparecer com outro exemplar para que ela podesse continuar seus estudos e com mais raiva ainda de Stephen.


*Por Stephen e Callista

Enfeitiçado por Cal - 09:02:39 ::
4 corujas.

quarta-feira, 9 de novembro de 2005




[SDP]

Venho a público comunicar um fato desagradável, mas que incomoda a minha pessoa e a da administradora mor deste blog há alguns meses.


Como todos sabem, tivemos um processo seletivo para o Magic Past. Algumas meninas entraram, sob minha indicação, pois eram minhas amigas. E elas chamaram outras amigas e nem todas foram escolhidas. Uma das não selecionadas resolveu criar o seu próprio. Até aí, tudo bem. Em seguida, recebi um convite para participar do blog delas. Como eu já estava inscrita no concurso do Expresso Hogwarts e já participava do Past, recusei.


Tal não foi minha surpresa quando recebi o arquivo com a ficha de inscrição e as regras do blog - praticamente uma cópia do arquivo enviado pela Cal para a equipe integrante desse blog.

Não bastasse, ao abrir o referido blog, dei de cara com bases feitas por mim, nunca antes utilizadas. Outras, já usadas. E sem os devidos créditos. Sem falar nas feitas pela Liz do Magic Spell, e as da Meridiana Johnson, do Expresso Hogwarts... Além de dolls do próprio Magic Past, feitas por mim e pela Cal.


Duas pessoas que eram membros do Accio e também do Past tinham acesso a todos os meus arquivos de bases de dolls via FTP. Uma delas, por sinal, também fazia parte do Magic Past. Pessoas que eu considerava amigas, participavam de tudo e que que tinham a minha confiança. Falei com elas, que avisaram à dona do blog. Ela deu os créditos ao Accio Dolls, mas não aos demais blogs.


Tempos mais tarde, as garotas saíram tanto do Past como do Accio por motivos pessoais... E continuaram no referido blog. Notei que os nossos créditos sumiram e as bases ainda estavam lá. Continuei calada.


A Carol Smith, do Spell, reclamou com educação sobre bases dela sendo usadas lá sem os devidos créditos. Obteve uma resposta malcriada.


Recentemente, uma das candidatas ao processo seletivo do Accio, a Lauren O'Neill, foi selecionada para participar do blog.


Publicaram então uma base dela, doll dela feita pela dona do site.
Uma das personagens do Accio Cérebro era Helena Troy, que não está mais no site e sua autora continua com outra personagem. A base de Helena lá estava, linda e reluzente, com os créditos para a Louise Storm (sim, até o nome é cópia! Louise Storm Graham)


Vai aqui as duas versões - a primeira, feita por mim - base de Helena Troy. A segunda, a "feita" por ela.





Deixei um comentário no blog. Eis a cópia:


O carinha tudo bem... mas a outra base é minha.
Arwen Potter | Homepage | 11.07.05 - 8:27 pm | #



Resposta da moça:


Sinto enormemente em desapontá-la, mas a base da Lauren foi pega do candybar. Sei que você vai ficar desolada com a notícia, mas o photoshop não existe só no seu computador... Se alguém tem o direito de pedir créditos, é a pessoa responsável pelo candybar, que tenho certeza que não é você. Mas vai aqui uma idéia: Pra evitar que você saia por ai achando que todas as dolls são suas, carimba a testa delas e registra em cartório, que ai não tem mais aborrecimento. Nas que não tiver seu selo de qualidade, significa que outras pessoas também têm a capacidade de ir la, escolher uma doll qualquer e pintar bonitinho.
Louise Storm | 11.08.05 - 10:00 am | #



Respondi outra vez e resolvi levar o assunto a público:


À querida Louise Storm:


Sinto mais ainda desapontá-la.
Mas as bases são do Candy Bar e os créditos estão no meu site.
Mas conheço cada mínima edição de bases feita pela minha pessoa. E não só por mim, mas também as da Carol Smith, as da Liz, as da Meridiana Johnson...
Enfim, estão lá e acho que todos têm o direito de usá-las.
Se digo que sei que é minha é porque SEI MESMO. Uma de suas amigas e colegas de blog têm um arquivo meu cheio de bases. Algumas inclusive usadas em seu próprio blog e eu nem as tinha usado...


Achei que você fosse um pouco mais educada. Mas vejo que me enganei.

Não preciso carimbar nada na testa das minhas dolls. Quem as vê sabe de quem são.


Ótimo que você esteja aprendendo a usar o PS. Quem sabe assim, isso se resolve?


Abraços.


Dani
Arwen Potter | Homepage | 11.09.05 - 7:54 am | #


Fico chateada não por usarem nosso trabalho, mas pelo descaso, pela falta de consideração e pela maneira desonesta com que se trata pessoas que consideram amigas.


Não sou capaz de usar uma única base sem mencionar de quem seja. E se não souber quem a fez, de dizer que não é minha.


Como a coisa chegou neste nível, e ainda há muito mais que decidi não expor aqui, fica registrado meu desagrado. E que isso seja levado adiante, para os outros blogs de fan fic que circulam na rede.


É isso.


Desculpem o incômodo.


Os endereços para visitantes confirmarem o que estou dizendo:
http://hogswonderyears.blogspot.com/
http://wonderalbum.blogspot.com/

[/SDP]


Please, repassem para os blogs de fic que vocês conhecem... Acho que esse tipo de atitude deve ser levado ao conhecimento de toda a comunidade potteriana.



Sem mais.

Liv Spellman/Arwen Potter

Enfeitiçado por Liv Spellman - 10:39:25 ::
2 corujas.

segunda-feira, 7 de novembro de 2005



Aquela manhã de sábado estava sendo bem movimentada, afinal era o final de semana que iria acontecer a escolha do artilheiro da grifinória. O time já estava no vestiário vendo a quantidade de fichas de possíveis artilheiros.

- Acho que vamos levar a manhã toda - Tiago, que era o capitão do time, comunicava a todos - Temos 15 pessoas tentando a vaga. Sirius e Renan, vocês serão o apoio às como time adversário. Cal e Liv, vocês me darão a principal opinião e Kysen não quero nada de cavalheirismo ou favoritismo, se alguém furar o seu bloqueio é porque é bom.

Potter não fazia grandes discursos, o que todos agradeciam. Ele sabia apoiar e elogiar na hora certa e ao mesmo tempo mostrar erros e dar broncas. Eles eram um time unido e conciso, que dava muito orgulho à diretora da casa dos leões.

Cada um pegou sua vassoura, quase todas Comet 79, o último modelo lançado no mercado. Para surpresa do time a arquibancada estava quase tão cheia quanto em dia de jogo.

- Mas o que está acontecendo? - Liv olhava espantada para todas aquelas pessoas.

- Somos os melhores Spellman, por isso temos fãs em todas as casas. - Sirius mandava beijos para várias garotas que acenavam para ele.

O batedor não estava totalmente enganado, muitos iam assistir o treino pelo prazer de ver todos jogando e outros para anotar as jogadas dos futuros adversários. A grande maioria feminina ia para ver do 3 rapazes do time: Potter, Black e Horpais. Os suspiros eram muitos a cada movimento dos garotos, mas as meninas do time não ficavam para trás, rapazes de várias casas usavam desculpas para vê-las jogar.

Os seis levantaram vôo, fazendo manobras para delírio dos fãs. Após o aquecimento, Tiago chamou o 1º concorrente a vaga que caiu da vassoura de tanto nervosismo. Sirius caiu na gargalhada e quase caiu de verdade se não fosse pelo rápido reflexo de Renan que o equilibrou novamente na vassoura.

A manhã passou rapidamente e ao meio dia ainda faltava um rapaz, que fez ótimas jogadas. Tiago agradeceu a todos que se inscreveram e falou que esperava o time no vestiário para decidirem em 15 minutos.

Liv mostrou para Cal um lufano de óculo sentado com uma prancheta na mão, fazendo a jovem de olhos violeta sorrir levemente. Com um movimento na vassoura, as duas pousaram ao lado do rapaz.

- Olá Sr. Capitão! - disse Liv, num tom irônico - espionando nossas jogadas para armar contra nós? Vou logo avisando, você é meu amigo, mas nós somos os melhores!

Deu uma gostosa gargalhada enquanto o rapaz meneava a cabeça, sorrindo.

- Vim dar uma espiada nas táticas de escolha do time... Bom, daqui alguns poucos dias terei que estar fazendo o mesmo... Nada melhor do que contar com a ajuda das minhas amigas - disse dando uma piscadela de olho.

A grifinória de olhos azuis olhou expressivamente para ele, franzindo um pouco as sombrancelhas.

- Tem certeza de que só veio ver as "táticas"? - disparou, dando em seguida, um sorrisinho maroto e olhou de esguelha para a amiga de olhos violeta.

Storm corou, mas não perdeu a classe. Se Liv estava tentando intimidá-lo perante Callista, dessa vez ela não conseguiria.

- Claro que também vim assistir as garotas bonitas jogando...

Cal riu do comentário do rapaz, sentindo-se realmente satisfeita.

- GarotaS, no plural, Andrew Storm? - interrogava Liv enquanto quase engasgava de tanto rir - não conhecia esse seu lado... hummm... digamos... Black de ser!

- Ora, eu sou tímido, uso óculos mas não sou cego! - tentava sair da berlinda por cima - afinal não é todos os dias que temos a oportunidade de ver três beldades como vocês jogando.

As meninas riram, dizendo que contariam à McCartney que ele a incluira no time de "beldades" quando chegassem no vestiário. Despediram-se do lufano, Spellman com um aceno, e Graham deu-lhe uma beijoca no rosto. Se até aquele momento elas ainda não haviam conseguido desconcertar o moço, agora poderiam festejar: ele estava tão roxo como uma beringela.

As duas artilheiras levantaram vôo e foram em direção aos vestiários, apressadas. Potter seria capaz de trucidá-las pelo atraso. Estavam esperando por elas para decidir por fim quem seria o felizardo novo membro do time de quadribol da casa dos leões.


Escrito por Cal, Liv e Andy

Enfeitiçado por Liv Spellman - 16:29:12 ::
5 corujas.